Pesquisa:
 
Parceiro PortugalGay


Opus Gay acusada de bloquear representação LGBT Portuguesa ao Fórum Social Europeu



Este documento não foi subscrito pelo PortugalGay
Conteúdo da exclusiva responsabilidade dos signatários.mais informações

A notícia abaixo publicada, "OPUSGAY BLOQUEIA REPRESENTAÇAO GLBT", enquadra-se na forte luta partidária que algumas associações lgbt, e nao só, levaram para o Fórum Social Português, e FS Europeu, já denunciada na imprensa, com manipulação da informação.
Querem imprimir-lhe a marca de partido, ao que a Opus Gay e outras ONG´s independentes se têm oposto, em nome da independência do movimento social português.
Partidarizar o movimento social, e o LGBT, é a melhor forma de o descredibilizar e, no nosso caso, guetizar. Mas há sempre quem o queira fazer de acordo com tácticas partidárias e eleiçoeiras, tendo em vista as candidaturas às eleiçoes europeias de 13 Junho 2004.

No nosso caso, recomeçou quando organizávamos o último Fórum Social Português, em JUNHO. Teve expressão definitiva quando, subitamente, por ordem do GTH-PSR, agora já desaparecido, por se ter integrado definitivamente nas associações abaixo nomeadas, o Fórum lgbt foi esvaziado, com o pretexto-intenção, assumidos, de isolar, de uma vez por todas e definitivamente, a Opus Gay, dado ela não subscrever algumas teses bloquistas. Designadamente, a prioridade da discussão sobre as Adopções por homos no Parlamento, do que avisamos atempadamente o partido proponente, explicando que achávamos extemporânea. E também por nao alinhar na condominização partidário-económica da comunidade lgbt, velho sonho que vem de 1997 .

Nesta notícia publicada pelo Portugal Gay estamos perante uma das tradicionais tácticas de golpes muito típicos dos trotskistas, cujo movimento é forte em França, e aqui, via PSR-GTH / Bloco de Esquerda, as aplicam aliadas ao interismo, ou infiltrações nos movimentos lgbt, fazendo crer que são muitos e unidos, criando e recriando associações de que são os motores, sócios, fundadores e controladores .

A "rede informal lgbt europeia " referida na notícia, com a Ilga-Portugal, Clube Safo, Não Te Prives,etc, era por nós total e absolutamente desconhecida, assim como as reuniões, e sessões preparatórias do Fórum Social nela desenvolvidas. Nunca nos falaram dela, nem em 2002, nem agora, nunca enviaram conclusões, relatórios, nem actas dos tais encontros. Sabemos agora, que já são anteriores ao ultimo Fórum Europeu de Florença , 2002 ,(!!) onde,aliás com o nosso aval , o Clube Safo (Fabíola Neto) e Nao Te Prives (Paulo Vieira) nos representaram, com algum suporte económico nosso. Também lhes demos o aval para irem a Porto Alegre ao Fórum Mundial. Sempre de boa fé, nem dos textos que aí foram defender tivemos conhecimento prévio, nem sequer posterior - hoje interrogamo-nos sobre o que efectivamente terão defendido, em nosso nome.

Protestaram ainda, na reunião de escolha de conferencistas para o Fórum Social Europeu, que a rede da Ilga Europa, que trabalha com a Comissão Europeia era "reformista", e a desconhecida rede informal em que se integram, mais eficaz. O que só faz rir quem conheça efectivamente o trabalho da Ilga Europe (na qual aliás o Clube Safo aceitou participar, a nosso convite). Tudo isto quando a Ilga-Portugal tem um problema com a Ilga Europe e Ilga World , por causa do uso abusivo do nome, que indevidamente usa, pois nunca pediu nem teve autorização para isso, nem a representa em Portugal, nem aliás ninguém o faz.

Começamos a perceber que pretendem ter um lugar cativo de representação internacional dos LGBT para o seu grupo partidário radical nestes Fóruns, para compensar lá fora, a nomeada que lhes falta cá. Além disso, já nao basta a tentativa de nos conotarem entre nós com um determinado partido, agora, pretendem também, (devido às eleições parlamentares europeias em Junho) instrumentalizar internacionalmente a nossa causa, com esse(S) grupo(S) informais e com movimentações partidárias ligadas à criação de um Partido Europeu Radical, já anunciado.

Interrogamo-nos se os sócios dessas associações têm efectivo conhecimento e consciência de até onde vão os esforços de militância partidária dos seus dirigentes.

O que se passou efectivamente foi que na última reunião para consensualizaçao de nomes dos portugueses para o Fórum Social EUROPEU realizada na CGTP, previamente preparada pelas ONG´s através da net , com propostas e contra propostas, coordenadas pelo SOS Racismo e CNA, com reuniões entre os grupos para acerto de nomes, para onde fizemos/apoiamos sugestões, por ex. D. Jose Torgal, Bispo auxiliar de Lisboa ( eixo da Paz) e Pedro Grilo, da Associação de Deficientes Portugueses , tetraplégico, economista (eixo exclusões sociais), no momento exacto da votação, surgiu inesperadamente, proposto pelo agora representante oficial da Ilga Portugal, Sérgio Vitorino , ex dirigente do GTH-PSR, e funcionário do Bloco de Esquerda, o nome da dirigente do Clube Safo, que já esteve em Florença, e nao pode/deve ser repetido, ela própria também membro conhecido do BE, com o aval de Paulo Vieira, da Nao Te Prives, do GOG (Simão Mateus), ambos ex PSR´s , actualmente todos eles bloquistas lgbt , com responsabilidades reconhecidas por todos.

Foi para nós muito claro que se tratava de um golpe, e portanto, vetamos. E vetaremos sempre todos os nomes, que não forem consensualizados, negociados como é apanágio deste fórum, que tem regras, sendo que umas delas é a da negociação, evitar-se a partidarizaçao das representações, a nao repetição dos representantes, e a paridade ,etc.

Eis o que diz a Associação Jovens para a Paz de Coimbra, a propósito das polémicas partidárias e desta reunião: "quanto aos nomes propostos, tod@s nós propusemos nomes, num espírito de partilhar e por à disposição dos fóruns nacional, regional e mundial aquilo que temos para dar, e com o objectivo de melhorar a nossa acção conjunta. Não creio que o objectivo seja o de garantir os nossos nomes num paroquialismo 'demodé' e porque me parece não ter havido paroquialismos nesta reunião, também me parece ser uma razão para ter sido uma reunião que posso considerar eficiente e eficaz, que não trouxe nem polémicas, nem insatisfações profundas!", reconhecendo assim que tudo se processou de acordo com as regras do Fórum.

Acrescentamos que o Clube safo tem sido por nós muito apoiado:

1-Convidamo-lo para reger um workshop na Conferência de Lisboa, da Ilga Europa, 2-depois, para representar as lésbicas na rede europeia da Ilga Europa em Bruxelas, 3- também lhe foi dado um espaço regular mensal no programa de rádio Vidas Alternativas, o Maria & Maria, 4- no passado dia 28 de Julho protestamos perante funcionários europeus por nao ter sido oficialmte contactado para uma reunião em Lisboa, no Instituto Jean Monet, perante o silêncio da Ilga Portugal, para uma campanha europeia denominada "Pela diversidade,Contra a Discriminação", 5- noticiamos regularmente os seus eventos na nossa página e na mailling list, e sucessivamente indicamos o seu nome aos órgãos de informação quando nos pedem testemunhos, 6- por nosso intermédio o Clube Safo, e a Ilga Portugal, foram convidados a integrar uma Plataforma Ibérica,que subscrevemos, com os colectivos espanhóis integrantes da FELGT, que nunca valorizaram, 7- apoiamos e partilhamos todos os seus eventos para que somos convidados .

Neste contexto, quem não foi claro, nem transparente, nem leal foram os proponentes do nome, com o propósito expresso de nos confrontar com factos consumados, para favorecimento da tal rede informal, que integram tão clandestinamente. Não cedemos! E da mesma forma que recusamos, dizemos de novo e sempre, que estamos abertos ao diálogo, que sempre recusaram, preferindo sempre a unificação do mesmo à consensualização da diversidade, no mais puro estilo estalinista, porque só pensam em hegemonizar.

Ao mesmo tempo garantimos a todos os lgbt, e a todos os que lutam por transparência na vida política, que lutaremos sempre contra golpismos, tentativas de partidarização , e instumentalização do movimento, como aquelas que estamos a assistir, cada vez mais, como é exemplo a partidarização total das Direcções das associações , pelo ex GTH-PSR que já deixou de existir, e as vem infiltrando desde os tempos da criação da Ilga-Portugal.

A terminar, recorde-se, que os mentores do portal Portugal Gay são membros fundadores da Ilga Portugal , e só estão no Fórum Social Português, a despeito de serem uma empresa comercial, o que é contra os estatutos do Fórum , graças ao encobrimento dos seus amigos lgbt destas redes. No entretanto, têm boicotado o surgir de novos protagonistas associativos a Norte, de onde operam, como aconteceu com a Opus Norte. Estão com o propósito de fazer número, e de amplificar notícias que lhes interessa manipular , ao mesmo tempo que se silenciam todas as outras. Enfim, uma clique que faz claque !

Já o vimos dizendo há muito .Não é uma luta de personalidades.

É lamentável, desleal , e muito negativo para o movimento lgbt, mas talvez lhes traga votos, em próximas eleições e anúncios rentáveis ao portal .

OPUS GAY

Este texto foi recolhido da página: http://www.opusgay.org/notic.htm em 23 Setembro 2003

Ver também...

Notícia PortugalGay.PT referida no texto
Comentário PortugalGay.PT sobre este assunto
Comentário de José Manuel Fernandes ex-presidente da ILGA Portugal sobre este assunto
Comunicado de imprensa em que PortugalGay.PT refere os bloqueios da Opus Gay no processo do FSP (27 Maio 2003)

 
© 1996-2022 PortugalGay®.pt - Todos os direitos reservados
A Sua Opinião
Tem alguma sugestão ou comentário a esta página?
Publicar a pergunta e resposta no Facebook PortugalGay.pt.

Nota: reservamos-nos o direito de selecionar e/ou ajustar as perguntas publicadas.

Não é um robot

Por favor marque as caixas DOIS e QUATRO.
Depois clique em OK.

© 1996-2022 PortugalGay®.pt - Todos os direitos reservados
Portugal Gay | Portugal LGBT Pride | Queer Lisboa | Portugal LGBT Guide | Mr Gay Portugal