Pesquisa:
Parceiro PortugalGay

Quinta-feira, 23 Junho 2005 00:59

PORTUGAL
Homossexuais e lésbicas lutam por casamento civil



O casamento civil entre homossexuais e entre lésbicas é a principal reivindicação política da marcha do orgulho lésbico, gay, bissexual e transgénero (LGBT) que no próximo sábado, dia 25 de Junho, vai descer a Avenida da Liberdade, em Lisboa.


Os organizadores da iniciativa, que ontem promoveram uma conferência de imprensa em Lisboa, fundamentam a sua exigência nas alterações à Constituição Portuguesa, introduzidas pela revisão de 2004, que proíbem qualquer discriminação com base na orientação sexual.

"A noção de que a procriação é a base do casamento é retrógrada. Se assim fosse, os casais heterossexuais que não quisessem ou não pudessem ter filhos estariam impedidos de se casar. O que é um perfeito disparate", diz Rui Zink. "As pessoas só falam da família tradicional, porque nunca viveram nela", acrescenta Inês Pedrosa. Os dois escritores serão os "madrinhos" da sexta marcha nacional do orgulho LGBT, da responsabilidade da Associação ILGA Portugal, do Clube Safo, da Associação Não Te Prives e da Associação Panteras Rosa.

Para os intervenientes, é preciso que todos dêem a cara na luta contra a homofobia e os actos de violência sobre homossexuais, seja qual for a sua orientação sexual. "O silêncio é uma forma de cumplicidade, se aceitarmos as coisas como estão, elas vão continuar", diz Inês Pedrosa. Para Manuel Cabral Morais, da ILGA Portugal, "a marcha é um momento de orgulho e afirmação, contra os preconceitos e pela igualdade de direitos". Na manifestação, comemora-se também o dia 28 de Junho de 1969 - data em que, na sequência do funeral da actriz Judy Garland, já então um ícone gay, cerca de 200 frequentadores do bar Stonewall Inn, em Nova Iorque, se revoltaram contra agressões verbais e físicas das autoridades policiais naquele local.

Na noite de sábado, decorrerá ainda no Parque do Calhau, em Monsanto, o Arraial Pride - evento que pela segunda vez integra as festas de Lisboa e que contará com a presença de vários artistas, bandas e DJ, onde se esperam perto de 10 mil pessoas. "No arraial aparece mais gente, porque é à noite e não há tanta exposição", acaba por confessar Eduarda Ferreira, do Clube Safo.

Mais informações em www.portugalpride.org .

 
© 1996-2022 PortugalGay®.pt - Todos os direitos reservados
A Sua Opinião
Tem alguma sugestão ou comentário a esta página?
Publicar a pergunta e resposta no Facebook PortugalGay.pt.

Nota: reservamos-nos o direito de selecionar e/ou ajustar as perguntas publicadas.

Não é um robot

Por favor marque as caixas TRÊS e SETE.
Depois clique em OK.

© 1996-2022 PortugalGay®.pt - Todos os direitos reservados
Portugal Gay | Portugal LGBT Pride | Queer Lisboa | Portugal LGBT Guide | Mr Gay Portugal