Pesquisa:
Parceiro PortugalGay

Domingo, 5 Maio 2019 22:07

MÚSICA
Madonna recorda amigos perdidos com o VIH/SIDA em discurso do GLAAD Awards



Madonna fez um discurso emocionado ao receber o prémio Advocate for Change da ONG LGBT+ GLAAD.


A cantora começou por descrever como se sentiu incluída na comunidade LGBT+ nos seus primeiros contatos.

Por que sempre lutei pela mudança? É uma pergunta difícil. É como tentar explicar a importância da leitura ou a necessidade de amar. Enquanto crescia, sempre me senti como um outsider, como se eu não fizesse parte. Não foi porque não depilava as axilas, simplesmente não me enquadrava Madonna

Ela explicou que o primeiro homem gay que conheceu foi Christopher Flynn, professor de balé no ensino secundário foi a primeira pessoa que acreditou nela, que a fez sentir especial como bailarina, como artista e como ser humano.

Sei que parece trivial e superficial, mas [Christopher Flynn] foi o primeiro homem a me dizer que eu era linda Madonna

Flynn também foi a pessoa que apresentou Madonna ao ambiente gay de bares e discotecas, onde ela viu homens beijando homens, raparigas vestidas de rapazes, rapazes vestindo calções curtos, danças loucas e incríveis danças e uma espécie de liberdade, alegria e felicidade que nunca havia visto antes.

Finalmente senti que não estava sozinha, que era bom ser diferente e não ser como toda a gente. E que, afinal, eu não era uma aberração. Eu me senti em casa e isso me deu esperança. Madonna

Madonna explicou que Flynn foi a pessoa que a encorajou a seguir os seus sonhos. Ela mudou-se para Nova York e encontrou o sucesso e fama, mas a sua ascensão em meados dos anos 80 coincidiu com a explosão do VIH/SIDA.

A praga que se moveu como uma nuvem negra sobre Nova York e num piscar de olhos, retirou-me todos os meus amigos Madonna

Foi a morte da sua melhor amiga e companheira de quarto, Martin Burgoyne, e do artista Keith Haring, que a levaram a pegar "o touro pelos cornos" e realmente lutar contra o problema. Ela descreveu a forma como as pessoas VIH+ eram tratadas na altura com tratamentos terríveis, e como ficou revoltada. E deu o exemplo de uma visita a uma enfermaria num hospital em Nova York para pacientes com SIDA numa noite em que abraçou todos os doentes presentes. No dia seguinte acordou com os jornalistas a perguntarem-lhe se ela tinha sido diagnosticada com o VIH/SIDA.

Ela recordou a "repetição da história" no Malaui, onde montou a organização beneficente Raising Malawi em 2006 para apoiar crianças órfãs pela epidemia de VIH que ainda afeta o país até hoje, e acabou por adotar quatro crianças do Malaui. E explicou que a vida é um círculo, e a importância do amor.

E concluiu:

Quando compreendemos o que significa amar, compreendemos o que é preciso para sermos um ser humano e que é dever de todos os humanos lutar, defender e fazer o que pudermos e o que for preciso. Madonna

Confira parte do discurso aqui:

MÚSICA: Madonna recorda amigos perdidos com o VIH/SIDA em discurso do GLAAD Awards

Pode também ter interesse em:

 
© 1996-2020 PortugalGay®.pt - Todos os direitos reservados
A Sua Opinião
Tem alguma sugestão ou comentário a esta página?
Publicar a pergunta e resposta no Facebook PortugalGay.pt.

Nota: reservamos-nos o direito de selecionar e/ou ajustar as perguntas publicadas.

Não é um robot

Por favor marque as caixas QUATRO e SETE.
Depois clique em OK.

© 1996-2020 PortugalGay®.pt - Todos os direitos reservados
Portugal Gay | Portugal LGBT Pride | Queer Lisboa | Portugal LGBT Guide | Mr Gay Portugal