Comunicado de Imprensa (PortugalGay.pt)
Pesquisa:
 
Parceiro PortugalGay

  


Comunicado de Imprensa



Este documento não foi subscrito pelo PortugalGay
Conteúdo da exclusiva responsabilidade dos signatários.mais informações

On-Line em 3 Março 2004

A Associação Portuguesa de Maternidade e Vida tomou conhecimento das declarações do Dr. Luís Villas-Boas acerca da adopção de crianças por homossexuais e das reacções tidas pelos líderes do movimento “gay”, e vem dizer o seguinte:

1 - Congratulamo-nos pelo facto do Dr. Luís Villas-Boas, que tem a experiência do trabalho concreto com crianças em grandes dificuldades, ter tido a coragem de publicamente afirmar o que é melhor para as crianças, sem medo das pressões de grupos minoritários;

2 – São vários os especialistas que afirmam que a homossexualidade é uma doença com cura. Não é o facto, das sempre mesmas vinte personalidades de serviço, nos tentarem fazer acreditar que existe uma alta incidência da doença na população que a torna normal. Não basta que uma alta percentagem da população sofra de reumatismo para ela deixar de ser uma doença;

3 – Consideramos que começa a ser exagerada a atenção dada pela Comunicação Social às declarações destes grupos minoritários, que mais não servem os interesses de alguns partidos, que fazem deles armas de arremesso;

4 – O argumento da luta contra a discriminação, usado pelas sempre mesmas vinte personalidades de serviço, é uma tese falaciosa e enganosa. Se esse argumento fosse verdadeiro, os lideres do movimento “gay” não discriminariam aqueles que não estão de acordo com as suas exigências. O que nos mostra a experiência é que sempre que isso acontece, esses movimentos querem obrigar todas as pessoas a aceitar o seu imoral “estilo” de vida.

Paredes, 20 de Fevereiro de 2004.

Francisco Coelho da Rocha
Presidente da Direcção

email: geral@maternidadevida.org
WWW: www.maternidadevida.org

Ver também:
Recortes de imprensa sobre este assunto (incluindo artigo com as declarações originais de Villas-Boas)

Comentários de utilizadores do PortugalGay.PT:

Caro Sr. Francisco Coelho da Rocha,
Confesso-me chocado com as suas declarações.
Por acaso, não sou homossexual, mas tenho amigos e familiares que o são e não gostei que o senhor se referisse a eles como detentores de um «imoral "estilo" de vida».
Quem o senhor julga que é para proferir declarações dessas?
Gostaria, primeiro, que fizesse o favor de definir o que considera «imoral "estilo" de vida». Além disso, não é o por o senhor ser português e gostar de ofender pessoas que eu infiro que todos os portugueses gostam de ofender pessoas:
generalizações aplicadas a grupos (especialmente quando numerosos) são falaciosas.
Peço-lhe que tenha cuidado com as declarações que faz, as quais na minha humilde opinião, só lhe ficam mal.
Já reparou que nos países mais desenvolvidos do mundo, os homossexuais têm os mesmos direitos (incluindo em termos de adopção de crianças) que os seus congéneres heterossexuais?
Já não faltará muito para que em Portugal aconteça o mesmo: disso sim, pode ter a certeza!
Muito obrigado pela sua atenção.

imoralimoral@aeiou.pt 3 Mar 2004 15:23

 
© 1996-2018 PortugalGay®.pt - Todos os direitos reservados
A Sua Opinião
Tem alguma sugestão ou comentário a esta página?
Publicar a pergunta e resposta no Facebook PortugalGay.pt.

Nota: reservamos-nos o direito de selecionar e/ou ajustar as perguntas publicadas.

Não é um robot

Por favor marque as caixas CINCO e SEIS.
Depois clique em OK.

© 1996-2018 PortugalGay®.pt - Todos os direitos reservados
Portugal Gay | Portugal LGBT Pride | Casamento Civil para Todas as Famílias | Queer Lisboa | Jovem Gay | Portugal LGBT Guide | Mr Gay Portugal