Panteras Rosas (PortugalGay.pt)
Pesquisa:
 
Parceiro PortugalGay

Movimento Panteras Rosa  


Panteras Rosas



Este documento não foi subscrito pelo PortugalGay
Conteúdo da exclusiva responsabilidade dos signatários.mais informações
Comunicado de Imprensa 18 Fevereiro 2004


Comunicado de Imprensa 18 Fev 04

Homofobia na adopção

A infelicidadedas posições discriminatórias de Luís Villas-Boas, presidente da Comissão de Acompanhamento da Lei da Adopção

As Panteras Rosas associação de combate à homofobia vêm por este meio denunciar energicamente as posições assumidas publicamente hoje por Luís Villas-Boas, presidente da Comissão de Acompanhamento da Lei da Adopção, segundo o qual mais vale uma criança passar toda a vida numa instituição ou em famílias de acolhimento à infelicidade de ser educada por homossexuais.

O responsável afirmou ainda que a homossexualidade não é um comportamento normale que é uma perversão o que se passa nalguns pontos da Europa, nomeadamente a Holanda, onde os casais gays e lésbicos vêm reconhecidos os seus direitos parentais, nomeadamente o direito à adopção. Luís Villas-Boas vai ainda mais longe e garante que uma criança que seja educada em ambiente homossexual tenderá a interiorizar atitudes, aprendizagens, reacções do ambiente onde está, o que poderá interferir com a sexualidade naturaldas crianças. E acrescenta: ser lésbica não é ser mulher na plenitude do termo, porque se assim fosse não haveria o problema da procriação natural.

Para as Panteras Rosas:

    - Através destas infelizes declarações, Luís Villas-Boas exprime posições morais, ao ajuizar da normalidadeda homossexualidade ou de uma suposta ligação inevitável entre ser mulhere procriar, e não uma posição profissional de psicólogo. Mais, confirma o carácter já de si abertamente discriminatório da actual Lei em função da orientação sexual dos/das candidatos a adopção;

    - Se conhecesse realmente o sistema de adopção e o que representa para crianças jovens viverem institucionalizado/as sem um enquadramento familiar a que têm direito, o responsável pela comissão não proferiria tais disparates, por respeito, quanto mais não seja, para com essas crianças e jovens.

    - Luís Villas-Boas terá que explicar com que base afirma que a orientação sexual de pais homossexuais determinaria a dos filhos em qualquer sentido. A maioria dos homossexuais são filhos de heterossexuais, pelo que a tese cai por terra. Mais, a orientação sexual das pessoas é reprimível, mas não alterável. É na família heterossexual que se limita à força quaisquer tendências homossexuais demonstradas pelos filhos. Seguramente que as famílias homossexuais serão mais tolerantes desse ponto de vista.

    - As declarações em causa são um insulto aos muitos gays e lésbicas com filhos (filhos biológicos), e aos seus filhos, que naturalmente amam quem os criou. Para informação de Luís Villas-Boas, muitos homossexuais tiveram relações heterossexuais prévias, das quais resultaram crianças. Mais, os gays e as lésbicas não perdem capacidade reprodutiva por terem a orientação sexual que têm. Podem a qualquer momento resolver não apenas adoptar mas também conceber crianças. E muitos/as fazem-no.

As Panteras Rosas desafiam Luís Villas-Boas a demitir-se do cargo ou, em alternativa, a ser inteiramente consequente com estas declarações, e assumir que os filhos de homossexuais lhes devem ser retirados. A bem da normalidade- claro! - afinal quem não sabe cuidar uma criança adoptada, também não saberá cuidar o seu filho ou a sua filha.

Ou será que é mesmo verdade, como sempre defendemos, que a orientação sexual de uma pessoa não determina as suas capacidades parentais?

Panteras Rosas

 
© 1996-2018 PortugalGay®.pt - Todos os direitos reservados
A Sua Opinião
Tem alguma sugestão ou comentário a esta página?
Publicar a pergunta e resposta no Facebook PortugalGay.pt.

Nota: reservamos-nos o direito de selecionar e/ou ajustar as perguntas publicadas.

Não é um robot

Por favor marque as caixas CINCO e SETE.
Depois clique em OK.

Portugal Gay | Portugal LGBT Pride | Casamento Civil para Todas as Famílias | Queer Lisboa | Jovem Gay | Portugal LGBT Guide | Mr Gay Portugal