Notícias - INDONÉSIA: Polícia acusada de apoiar grupos transfóbicos e homofóbicos (PortugalGay.pt)
Pesquisa:
 
Parceiro PortugalGay

Sexta-feira, 27 Janeiro 2017 09:33

INDONÉSIA: Polícia acusada de apoiar grupos transfóbicos e homofóbicos




INDONÉSIAA policia interrompeu o evento desportivo e artístico trans “Porseni” devido a pressões de grupos transfóbicos.

Isto aconteceu porque a Congregação Islâmica se manifestou contra o evento, alegando que o mesmo não estava de acordo com os seus preceitos religiosos. A policia terá entrado no recinto forçando as pessoas a dispersar, fala-se que para isso terão feito disparos de advertência, e detido cerca de 600 participantes.

Ao jornal The Jakarta Post, Askar Mampo, membro da organização disse que a policia alegou que não havia autorização para o desfile. Mas segundo Mampo, a organização obteve autorização no passado dia 4 de janeiro, por parte da própria policia.

Várias foram as organizações que condenaram a ação da polícia. A Indonesian Legal Aid Institute Foundation disse:

A policia é suposto garantir os direitos humanos, não privar os direitos da comunidade, neste caso das pessoas trans e Bissu [género neutro].

 



Por sua vez a Comissão Nacional de Violência contra as Mulheres disse que as ações da policia eram inconstitucionais e que não há nada de ilegal em participar em atividades trans:

A ação da polícia sobre estes eventos não é apenas uma ameaça para a comunidade trans, mas uma ameaça à democracia Indonésia

 

.

O presidente Indonésio, Joko Widodo, disse no passado mês de Outubro que as pessoas LGBTI devem ser mais apoiadas, por isso mesmo a associação GAYa Nusantara, pediu ao presidente para ser consistente com as suas afirmações.

A Human Rights Watch acusa a policia indonésia de estar a ajudar entidades islâmicas a cumprir a sua agenda anti-LGBTI. Um porta-voz da Human Rights Watch disse que este “é o mais recente incidente em que a polícia indonésia colaborou abertamente com militantes islâmicos para interromper ilegalmente eventos relacionados com as pessoas LGBTI e assediar e/ou intimidar essas pessoas”.

Referiram ainda que o presidente Joko deve cumprir o seu compromisso de defender os direitos das pessoas LGBTI, deixando claro que a polícia está obrigada a defender e proteger os direitos de todos os indonésios incluindo os das pessoas LGBTI, ao invés de "conspirar com os opressores", adiantou a Human Rights Watch.
INDONÉSIA: Polícia acusada de apoiar grupos transfóbicos e homofóbicos

Pode também ter interesse em:

 
© 1996-2017 PortugalGay®.pt - Todos os direitos reservados
A Sua Opinião
Tem alguma sugestão ou comentário a esta página?
Publicar a pergunta e resposta no Facebook PortugalGay.pt.

Nota: reservamos-nos o direito de selecionar e/ou ajustar as perguntas publicadas.

Não é um robot

Por favor marque as caixas CINCO e SEIS.
Depois clique em OK.

© 1996-2017 PortugalGay®.pt - Todos os direitos reservados
Portugal Gay | Portugal LGBT Pride | Casamento Civil para Todas as Famílias | Queer Lisboa | Jovem Gay | Portugal LGBT Guide | Mr Gay Portugal