SAÚDE: PrEP é significativamente menos eficaz nas mulheres do que nos homens (PortugalGay.pt)
Pesquisa:
Parceiro PortugalGay

Quinta-feira, 14 Setembro 2017 22:40

SAÚDE
PrEP é significativamente menos eficaz nas mulheres do que nos homens



Leva mais tempo para a PrEP ser eficaz no tecido vaginal do que o tecido retal - e isto pode ser um problema para homens trans


O professor Bob Grant, investigador do estudo iPrEx e PrEP em mulheres trans e homens homossexuais, afirma que "a PrEP protegeu as mulheres cisgéneras da infecção", mas para alcançar níveis que oferecem essa proteção, elas tem de tomar a medicação todos os dias sem falhas. Ele indicou 24 casos de mulheres em estudos de PrEP onde os níveis de fármaco foram testados antes e logo após a infecção e muitos dos resultados concluíram que as mulheres que tomavam quatro a cinco comprimidos por semana apresentaram maior taxa de infecção do que homens e mulheres trans com a mesma dose. Com esta informação, podemos assumir que uma aderência maior e mais consistente pode ser necessária para proteção total em mulheres cis.

Diferenças biológicas

Analisando as razões biológicas desta diferença D. Angela Kashuba da Carolina do Norte concluiu que demora mais tempo para que a PrEP atinja o tecido vaginal do que o tecido retal. Em algumas situações os níveis das drogas podem nunca atingir níveis de proteção adequados na vagina. A PrEP permanece no tecido retal muito mais tempo e atinge o tecido muito mais depressa do que na vagina, e é necessária uma dose mais baixa para atingir níveis eficazes. Os dados parecem bastante conclusivos. Se uma mulheres cis toma a PrEP todos os dias e começar o tratamento algumas semanas antes da exposição ao VIH, então a proteção é eficaz. Tal como no caso dos homens protecções adicionais como preservativos fazem sentido em determinados cenários.

Como ficam os homens trans?

As coisas complica-se, no entanto, para homens trans pré-operatórios como explica Cole Hayes da HIV Plus mag: a maior parte dos estudos são feitos com homens cis e com muitas poucas mulheres trans que têm sexo com homens cis. Há muito poucos estudos com mulheres cisgéneras e quase nenhuma informação foi recolhida sobre homens trans que usam PrEP. Não se sabe de que forma as terapias hormonais podem afectar a medicação, nem o efeito que pode ter na PrEP a atrofia do tecido vaginal que ocorre muitas vezes após o início da testosterona. Há claramente aqui um grupo de pessoas que está a ser ignorado, por enquanto, desta terapia que tem o potencial de revolucionar a forma como vemos o VIH.

SAÚDE: PrEP é significativamente menos eficaz nas mulheres do que nos homens

Pode também ter interesse em:

 
© 1996-2017 PortugalGay®.pt - Todos os direitos reservados
A Sua Opinião
Tem alguma sugestão ou comentário a esta página?
Publicar a pergunta e resposta no Facebook PortugalGay.pt.

Nota: reservamos-nos o direito de selecionar e/ou ajustar as perguntas publicadas.

Não é um robot

Por favor marque as caixas UM e SEIS.
Depois clique em OK.

© 1996-2017 PortugalGay®.pt - Todos os direitos reservados
Portugal Gay | Portugal LGBT Pride | Casamento Civil para Todas as Famílias | Queer Lisboa | Jovem Gay | Portugal LGBT Guide | Mr Gay Portugal