Notícias - RÚSSIA: Registo central de pessoas VIH+ (PortugalGay.pt)
Pesquisa:
Parceiro PortugalGay

Segunda-feira, 9 Janeiro 2017 16:21

RÚSSIA: Registo central de pessoas VIH+




Ativistas preocupados com o registo central de pessoas infetadas com VIH/Sida.

Atualmente o registo é opcional, mas ativistas temem que o registo venha a ser obrigatório e isso leve a descriminar as pessoas VIH+

Problemas

Os ativistas apontam para que menos de metade das pessoas infetadas com o VIH recebem tratamento e denunciam que a maior parte do orçamento Russo para o VIH é gasto no tratamento, e que mais devia ser investido na prevenção: como educação sexual e distribuição de preservativos.

A posição oficial

Segundo o Ministério da Saúde Russo este registo pretende apenas realizar os recursos necessários para o tratamento em função do número de infetados. Acredita o Ministério que desta forma será mais fácil garantir a disponibilidade de medicamentos. Dados oficiais dizem que já foram registados 824 mil pessoas dos 850 mil totais conhecidos.

O governo defende que o acesso fácil aos preservativos é que terá feito aumentar o número de infetados pois promove a "promiscuidade". O Instituto Russo de Pesquisa Estratégica, defendem que os modelos ocidentais de luta contra o VIH prestam muita atenção aos grupos de risco, como toxicodependentes e pessoas LGBT, e que esse modelo não funcionará na Rússia porque as características culturais, históricas e psicológicas da população são diferentes.

Leis repressivas com maus resultados

Mas os números indicam que o Instituto poderá estar a ver mal a questão. A vizinha Ucrânia tomou medidas de prevenção relativamente a toxicodependentes e viu resultados, o mesmo aconteceu em países que tinham políticas mais agressivas com os toxicodependentes como a China e Irão. Por outro lado na Rússia desde que foi implementada a política de repressão de LGBTs as taxas de infeção anual entre homens que tem sexo com homens aumentaram para o dobro. E para piorar o cenário vários especialistas na área indicam que há pouco dinheiro investido no tratamento e prevenção do VIH/Sida em geral na Rússia, e essa falta de financiamento tem consequências visíveis.

Um futuro pouco promissor

Em janeiro de 2016 o número de pessoas diagnosticadas com o VIH/Sida na Rússia ultrapassou o 1 milhão. Mas os especialistas indicam um número real de pessoas infectadas que pode chegar a 1.5 milhões o que num país com cerca de 150 milhões de habitantes indica uma prevalência muito preocupante que as autoridades parecem incapazes de reduzir.

Pode também ter interesse em:

 
© 1996-2017 PortugalGay®.pt - Todos os direitos reservados
A Sua Opinião
Tem alguma sugestão ou comentário a esta página?
Publicar a pergunta e resposta no Facebook PortugalGay.pt.

Nota: reservamos-nos o direito de selecionar e/ou ajustar as perguntas publicadas.

Não é um robot

Por favor marque as caixas UM e SETE.
Depois clique em OK.

© 1996-2017 PortugalGay®.pt - Todos os direitos reservados
Portugal Gay | Portugal LGBT Pride | Casamento Civil para Todas as Famílias | Queer Lisboa | Jovem Gay | Portugal LGBT Guide | Mr Gay Portugal