PUB Google


por portugalgay quinta-feira, 08 Setembro 2005 00:17
Olá pessoal. Há cerca de 2 anos apanhei uma doença sexualmente transmissível que se revelou ser clamídea. Um antibiótico resolveu esse problema de forma quase instantânea. Contudo os testes a outras DST’s, que fiz por conselho do médico, revelaram um problema bem mais grave: infecção pelo HIV. Mesmo sabendo que as hipóteses de um falso positivo neste teste eram escassas ainda me agarrei a essa ténue esperança que se revelou infundada: o teste seguinte confirmou o veredicto. Parecia que o mundo desabava sobre a minha cabeça, valeu o apoio e os esclarecimentos dos técnicos de saúde da Lapa. Análises complementares revelaram já algum estrago no sistema imunitário, pelo que fui encaminhado a uma consulta de especialidade a fim de iniciar tratamento com anti-retrovirais. A resposta do organismo a um dos fármacos utilizados, o AZT, foi violentíssima pelo que dias depois teve de ser substituído. A actual combinação felizmente foi eficaz e não tem causado quaisquer efeitos secundários. A carga viral tornou-se indetectável e o nº de CD4 subiu, estando agora em 380. Aconselho a todos os que já tiveram comportamentos de risco a fazerem o teste: é importante iniciar o tratamento quando o sistema imunitário não está ainda demasiado comprometido. Conhecer o nosso estado serológico permite-nos também proteger as pessoas com quem nos envolvemos. Por último não esqueçam a mensagem da prevenção: Não acontece só aos outros ou aos mais promíscuos – Basta facilitar uma vez. A Sida existe, os tratamentos podem melhorar a qualidade de vida mas não a garantem nem são de forma alguma uma cura.

Seropositivo de Lisboa

Tags: